Pular para o conteúdo
Voltar

Governo de Mato Grosso lamenta morte do artista mato-grossense Clóvis Irigaray

Em fevereiro deste ano, Irigaray foi anunciado como uma das 75 personalidades mato-grossenses homenageadas pelo edital da Lei Aldir Blanc na categoria "Conexão Mestres da Cultura - Marília Beatriz de Figueiredo Leite"
Érika Oliveira | Secom-MT

Clóvis Irigaray ganhou notoriedade unda ao retratar a figura do índio como elemento de protesto - Foto por: Reprodução
Clóvis Irigaray ganhou notoriedade unda ao retratar a figura do índio como elemento de protesto
A | A

O Governo de Mato Grosso lamenta o falecimento do artista plástico mato-grossense, Clovis Irigaray, na manhã deste sábado (3), em Cuiabá. 

Irigaray era uma das maiores referências em arte moderna do Estado. Em 2013, ele foi nomeado Embaixador das Artes pela Academia Francesa de Artes, Letras e Cultura e também foi convidado para expor seu trabalho no Museu do Louvre, em Paris, um dos maiores e mais conceituados do mundo. A causa de sua morte ainda é apurada. 

“Recebemos a notícia com muita tristeza. Mato Grosso perde hoje um de seus maiores artistas. Estendemos nossa solidariedade a todos os familiares, amigos e aqueles que, assim como nós, eram admiradores do trabalho do Irigaray”, lamentaram o governador Mauro Mendes e a primeira-dama Virginia Mendes. 

Em fevereiro deste ano, Irigaray foi anunciado como uma das 75 personalidades mato-grossenses homenageadas pelo edital da Lei Aldir Blanc na categoria "Conexão Mestres da Cultura - Marília Beatriz de Figueiredo Leite".  

“É uma perda imensurável para a cultura mato-grossense. Clóvis era um dos maiores exportadores das tradições do nosso Estado e com certeza deixou um legado que irá servir de inspiração por gerações”, externou o secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Alberto Machado, o Beto Dois a Um. 

Clóvis Irigaray ganhou notoriedade mundial ao retratar a figura do índio como elemento de protesto. O artista participou da Bienal de São Paulo, Salão Nacional de Arte Moderna do Rio de Janeiro e no "Panoramas das Artes de Mato Grosso" no Museu de Arte e Cultura Popular, da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).