Pular para o conteúdo

SALA DE DIGITALIZAÇÃO

A Secretaria de Estado de Cultura - SEC através do Sistema Estadual de Bibliotecas
Públicas de Mato Grosso - SEBPMT e Biblioteca Pública Estadual Estevão de
Mendonça - BPEEM em parceria com a Casa Barão de Melgaço - CBM, desenvolvem
desde 2013 o projeto intitulado Acervo Digital de Obras Raras e Esgotadas sobre Mato com objetivo de digitalizar documentos, artigos, fotos e livros de escritores
renomados de Mato Grosso.


O trabalho de separação, preparação, conferência e digitalização das obras contou com a
participação da Curadora da Casa Barão de Melgaço, Elizabeth Madureira Siqueira*, de
dois historiadores da citada Secretaria, Fernanda Quixabeira e Luciwaldo Pires de
Ávila.


Dos títulos em domínio público (de 1974 para trás) serão digitalizados e colocados no
site da biblioteca, a exemplo dos Relatórios da Comissão Rondon, do Álbum Graphico
do Estado de Matto-Grosso, Relatórios de governantes, dentre outros.


Serão mantidos contatos com as famílias dos autores falecidos para fornecimento de
autorização para veiculação de suas obras sob o formato digital, assim como
conclamados autores contemporâneos que poderão ceder esse direito, especialmente de
suas obras já esgotadas.


Segundo a curadora CBM, o trabalho de digitalização visa democratizar a produção
sobre Mato Grosso, disponibilizando seu acesso a um número infinito de pesquisadores,
leitores e internautas do mundo todo.


Suas principais vantagens são:


• Possibilidade de realização de tratamento das imagens capturadas, melhorando
sua visualização;
• Manuseio da leitura usando programas universais e comuns a qualquer
computador (Windows/PDF), com recursos de zoom e iluminação;
• Portabilidade de consideráveis volumes de títulos por meios eletrônicos (envio
por e-mails, cópias em pendrives, e congêneres);
• Fácil reprodução do material digitalizado;
• Busca amplificada por programa do sistema Google, que permite a localização
pro autor, título, ou qualquer palavra – chave contida no corpo texto, facilitando e
agilizando a pesquisa;


Acompanhe algumas datas importantes da historia e evolução desse grande projeto:

2010 – Aquisição do aparelho de Scanner Orbital Coopibokk i2s, de fabricação
francesa, um HD de 3 tera, Um computador de Grande Potencia durante a gestão do
Secretário de Cultura Paulo Pitaluga Costa e Silva.
2012 – Assinatura de parceria entre a Secretaria de Estado de Cultura, através da
Coordenação do Sistema Estadual de Bibliotecas/BPEEM, na pessoa da Sra. Salime
Marques, e a Casa Barão de Melgaço (IHGMT e AML), através de sua Curadoria.
Realização de capacitação por técnico de São Paulo para uso da máquina de
digitalização para os funcionários da Biblioteca e servidores da SEC.
2013 – Início do trabalho em abril de 2013 e já digitalizando toda a produção de
Estevão de Mendonça e Rubens de Mendonça, esforço que contou com valiosa
colaboração da Sra. Adélia Maria Badre Mendonça de Deus, neta e filha,
respectivamente, no oferecimento das diversas edições de obras, hoje esgotadas.
2014 – Em 27 de novembro, foram veiculados os primeiros resultados do Projeto, com a
colocação, no antigo site da Biblioteca Pública Estadual Estevão de Mendonça
(bibliotecapublica.mt.gov.br) de dois livros de autoria de Rubens de Mendonça, As
Revoluções de Mato Grosso e Ruas de Cuiabá, dando visibilidade da produção de
autores que escreveram sobre Mato Grosso. Na ocasião, a Família Mendonça assinou o
Termo de cessão de direitos dos títulos digitalizados, assim como as Famílias Monteiro
da Silva (Ubaldo Monteiro da Silva) e os historiadores Paulo Pitaluga Costa e Silva e
Elizabeth Madureira Siqueira.


Com esse projeto, a SEC e a CBM tornam Mato Grosso mais conhecido e,
consequentemente, mais amado. 


*Elizabeth Madureira Siqueira é escritora, professora, historiadora, curadora da Casa
Barão de Melgaço, sócia do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso da qual é
ex-presidente, e atualmente é vice-presidente da Academia Mato-Grossense de Letras.